Actividades Tradicionais e Cultura Popular

Actividades Tradicionais e Cultura Popular

Na época do povoamento do arquipélago da Madeira existia apenas uma grande mancha de floresta indigena (Laurissilva), uma grande quantidade de aves e pequenos répteis. O povo madeirense resulta de uma mistura que tem origem nos primeiros colonizadores, oriundos de diferentes regiões de Portugal Continental, e sofreu influências de povos estrangeiros que faziam trocas comercias com o Arquipélago ou que nele se estabeleceram. Nos primeiros anos de povoamento e, de acordo com os micro-climas existentes, foram introduzidas várias culturas tais como vinha, cana-de-açúcar, bananeira, trigo, milho e outros produtos hortícolas. Nessa época, tal como agora, a actividade agrícola desempenha um papel fundamental para a sustentabilidade do arquipélago. Para que a implementação da actividade agrícola fosse possível, foi necessário ultrapassar as contrariedades decorrentes do relevo e orografia acidentada da ilha. Para isso foi necessário, ao longo de gerações, um grande engenho e força para construir uma fantástica paisagem agrária que ainda hoje subsiste. Foi necessário armar socalcos (poios) em encostas íngremes e construir canais (levadas) para trazer água desde a encosta norte ao sul da ilha, com o objectivo de irrigar os campos agrícolas. Do artesanato regional destacam-se os bordados, objectos em vime, barretes de lã e até objectos em osso de baleia. No que se refere à gastronomia madeirense, esta sempre foi influenciada ao longo dos tempos pelos diferentes ciclos agrícolas (cereais, açúcar e vinho). A mesa popular foi sempre muito simples, situação quebrada em momentos festivos como o Natal. Embora não seja muito vasta, a gastronomia tradicional do arquipélago da Madeira é rica e variada. Espetada de carne de vaca, filetes de espada, bifes de atum, milho frito e carne de vinho e alhos são algumas das especialidades gastronómicas mais conhecidas e apreciadas por locais e visitantes. A doçaria tradicional madeirense encontra-se intimamente relacionada com a cultura da cana-de-açúcar. Além de açúcar os engenhos de cana produziam também mel de cana que serviu para a criação, nos conventos de Santa Clara e da Encarnação, de vários doces, entres os quais o conhecido Bolo de Mel. Rebuçados de funcho, broas de mel e queijadas são outros exemplos da doçaria tradicional da Madeira e Porto Santo.


Links relacionados

Funchal

Santa Cruz

Machico

Santana

Ribeira Brava

Porto Santo

Calheta

Ponta do Sol

Alojamentos nas proximidades :